Buscar
  • Claudio Girardi

Grandes idéias para 2019

Atualizado: 17 de Mar de 2019

#GrandesIdeias2019

Vou me arriscar com algumas idéias e considerações pessoais para 2019 dentro da indústria da música.



O streaming veio para ficar definitivamente: o artista que quiser se posicionar de verdade dentro da indústria da música tem que entender que o consumo da música mudou, hoje as pessoas não compram mais música, elas ouvem música, então entenda de uma vez por todas que as pessoas não compram mais sua música, elas a ouvem nas plataformas de streaming, Youtube, Spotify, Deezer, Napster, Tidal, Pandora, Vevo, só para citar alguns. A indústria da música viu um declínio nas suas vendas até aproximadamente o ano de 2015 onde o consumo de música nas plataformas de streaming começaram a mudar o cenário da indústria mundial, desde 2015 estamos experimentando um crescimento no ambiente digital e um retrocesso no ambiente físico, as vendas físicas de CD caíram, as vendas de downloads também vem caindo constantemente desde então, mas o consumo de música dentro das plataformas de streaming só vem aumentando, isto tem nos mostrado uma tendência de mercado para os próximos anos.

Segundo o relatório da Goldman Sachs eles projetam que o mercado de streaming deve crescer na ordem de 37-41 bilhões de dólares até 2030. Qual o motivo para o streaming crescer tanto nos próximos anos? Porque cada smartphone no planeta é um device de música, e o streaming é o modo mais conveniente e barato de se ouvir música, onde e quando você quiser. A revolução que o iPod trouxe ao mercado de você poder armazenar um grande número de músicas em formato digital no início dos anos 2000, agora não existe mais limitação física de armazenagem de música, com o streaming você pode acessar mais de 40 milhões de músicas a qualquer hora em qualquer lugar.


O streaming não é somente música, empresas como Disney, Warner, Fox vão lançar suas próprias plataformas na tentativa de desbancar a Netflix. Segundo um estudo da empresa de estatísticas Ampere Analysis, os serviços de streaming vão faturar algo em torno de US$ 46 bilhões no próximo ano, enquanto os cinemas tradicionais devem gerar pouco menos de US$ 40 bilhões, isto sem falar na China que vem crescendo a passos largos no SVoD, e já ultrapassou os USA desde 2017 em inscrições.




É hora de se posicionar dentro destas plataformas!


Planeje seus lançamentos para 2019, a sugestão é lançar vários singles durante o ano pois os algoritmos das plataformas de streaming gostam de artistas que lançam conteúdos regularmente, eles privilegiam estes, veja o caso da Anitta, da turma da música eletrônica, entre outros grandes artistas que programaram lançamentos durante o ano de 2018.


Posicionamento, este deve ser o grande plano para 2019 e nos anos seguintes! Saber se posicionar é o grande desafio para 2019 e nos anos seguintes, músicos tem a tendência de querer que as coisas aconteçam muito rapidamente, mas precisamos entender que posicionamento leva tempo, pois é a construção da sua "marca", e construir uma marca não acontece do dia para a noite nem em 3 e muito menos em 6 meses, planeje-se para os próximos anos, defina metas, e o mais importante não tente ser relevante em todas as plataformas ao mesmo tempo, vá aprendendo com cada uma delas e com o tempo você será relevante em cada uma delas, pois as mídias sociais saem de moda, lembra do falecido Orkut? O Facebook já está enfrentando este problema e está se reinventando e adivinha o que eles resolveram colocar lá? Isso mesmo! Música e conteúdo audiovisual!


Nicho é o novo mainstream, ao contrário do que muitos acreditam que para ter uma carreira musical, artística sustentável é preciso ser um grande sucesso no mercado mainstream, ser um artista relevante dentro de um determinado nicho pode ser bastante vantajoso e lucrativo, então invista no seu nicho musical dentro de um determinado gênero musical, posicionamento é a palavra de ordem para 2019, se posicionar bem dentro do seu nicho fará toda a diferença!

.Você prefere ter 1 milhão de seguidores que nunca foram ao seu show e nunca compraram uma camiseta da sua banda, ou ter uma base de 1000 fãs que compram de você produtos regularmente com um preço médio de R$ 50,00 todos os meses?


Experiência, música é experiência e os artistas que entregam a melhor experiência terão diferencial dentro deste mercado altamente concorrido, a experiência com a música não é somente a sua gravação ou seus shows, é e tudo o que você comunica para o seu público e todos os sub-produtos que você disponibiliza para eles, produtos de merchandise são uma ótima oportunidade de manter a experiência que seus fãs tem ou tiveram com a sua música, usar uma camiseta da sua banda é manter a experiência com a sua música durante um show, você pode colocar trechos das letras das suas músicas para seus fãs lembrarem da sua mensagem, dos seus valores, das suas crenças e do seu posicionamento dentro da sociedade.

Mas uma das coisas que os artistas de música precisam entender é que a experiência hoje com a música está intimamente ligada ao audiovisual, então você deve estar atento a produzir conteúdos audiovisuais relevantes para a sua base de fãs ou você ficará rapidamente para trás no mercado.


Os novos consumidores de música e entretenimento serão os nascidos depois de 2001 e são cerca de um terço da população do planeta e um quinto de seus trabalhadores, estamos falando da geração Z. Você precisará entender qual é a visão dessa nova geração, essas pessoas são muito diferentes das outras gerações, são curiosas, esperançosas, autodidatas, sintonizadas com o sofrimento do mundo e ansiosas por fazer algo a respeito, os valores dessa geração são muito diferentes dos seus pais e dos seus avós, então se você defende uma boa causa tem grandes chances de se conectar com essa geração, mas não tente engana-los querendo só vender a sua música para você ficar rico, você precisa ser autêntico e engajado com a sua causa e querer melhorar a vida das pessoas.


Inteligência artificial, este é o ponto mais interessante em toda a nossa sociedade, é uma realidade que está batendo na nossa porta com uma velocidade exponencial, e a indústria da música não está fora disso, os algoritmos das plataformas de streaming influenciam fortemente como, quando e o que as pessoas irão escutar, os assistentes digitais como Alexa e outros também tem os seus próprios algoritmos e machine learning que aprende com os seus gostos pessoais, e além disso estamos entrando em discussões mais profundas no campo dos direitos autorais, não só modelo tradicional, mas se uma inteligência artificial poderá no futuro próximo ser o autor de uma obra artística, consequentemente o detentor dos direitos autorais, retirando assim o ser humano da cadeia produtiva da música. Outro assunto que entra em pauta é com respeito aos rendimentos gerados pelas plataformas de streaming e o quanto é repassado para os autores, produtores fonográficos, editoras, pois isto afeta diretamente todo o eco-sistema da cadeia produtiva da indústria da música, as inteligências artificias definitivamente estão facilitando a vida das pessoas, mas o quanto isso torna a industria da música um negócio sustentável para os artistas?

Como músicos poderão continuar a produzir suas obras?

Resumindo o quanto de dinheiro retornará ao bolso do artista para ele pagar as suas contas no final do mês e ter dinheiro para poder reinvestir na sua carreira e poder entreter as pessoas com música de qualidade? Será que a produção artística musical será totalmente automatizada por algoritmos e machine learning que irão estudar os compositores, autores e criarem peças musicais com a identidade dessas pessoas ou de vários artistas combinados?

Com a inteligência artificial iremos entrar em campos éticos da sociedade como um todo e a indústria da música não está de fora disso, é sem dúvida um assunto que os músicos, autores, compositores precisam estar atentos e engajados nos próximos anos, mas numa velocidade exponencial, pois os desenvolvimentos estão sendo feitos em velocidades incríveis!




#zooparky #claudiogirardi #childrensmusic #musicbusiness #musicameumundo #subversivo






0 visualização

©2018 by Claudio Girardi